Introdução à Clínica - Semiologia

Ana Raquel Dias, Lay Sun, Luís Maia Morais, Mafalda Seabra Abrantes, Manuel António, Margarida João Vardasca, Rui Barata, Ryan Melo, Sofia Malheiro / Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa

Protocolos de Introdução à Clínica

Demonstração e explicação das manobras e gestos integrantes do Exame Objetivo.

  1. Protocolo de auscultação cardíaca
  2. Protocolo de auscultação cardíaca simplificado
  3. Protocolo de auscultação pulmonar
  4. Protocolo de auscultação pulmonar simplificado
  5. Exame objetivo abdominal - Inspecção
  6. Exame objetivo abdominal - Auscultação
  7. Exame objetivo abdominal - Percussão
  8. Exame objetivo abdominal - Palpação
  9. Exame objetivo abdominal - Sinais de irritação peritoneal
  10. Exame objetivo abdominal - Pesquisa de ascite
  11. Exame objetivo cervical - Inspecção
  12. Exame objetivo cervical - Auscultação
  13. Exame objetivo cervical - Palpação (excepto tiróide)
  14. Exame objetivo cervical - Glândula Tiroideia
  15. Protocolo de toque rectal
  16. Protocolo de otoscopia
  17. Protocolo de exame mamário
  18. Protocolo de oftalmoscopia

Ciclo Cardíaco

Explicação do ciclo cardíaco, nomeadamente dos eventos que ocorrem na sístole na diástole.

  1. Introdução ao ciclo cardíaco
  2. Sístole
  3. Diástole

Pulso Venoso Jugular

O Pulso Venoso Jugular reflecte as pulsações observáveis na veia jugular interna como manifestação da coluna de sangue que se estende da aurícula direita. A observação do Pulso Venoso Jugular permite perceber qual a Pressão Venosa Jugular pois esta corresponde ao ponto mais alto onde é observável a pulsação. Permite obter informações sobre as Pressões no Coração Direito e a função Cardíaca, nomeadamente, a Pressão na Aurícula Direita, a Pressão de Enchimento do Ventrículo Direito e estimar indirectamente a Pressão Venosa Central (Pressão na Veia Cava Superior).

  1. O que é o Pulso Venoso Jugular
  2. Como é - Características
  3. Técnica de Medição - Porquê a VJID
  4. Técnica de Medição - Posição doente
  5. Técnica de Medição - Palpação simultânea pulso carotídeo
  6. Técnica de Medição - Porquê luz tangencial
  7. Técnica de Medição - Medição da Altura do PVJ
  8. Sinal de Kussmaul - como varia a altura do PVJ na inspiração
  9. Sinal de Kussmaul - Definição e situações
  10. Refluxo Hepato-jugular
  11. Pressão venosa Jugular (Altura)
  12. Onda de pulso
  13. Onda de pulso - Relação semiológica
  14. Alterações do contorno - Onda A
  15. Alterações do contorno - Descida X
  16. Alterações do contorno - Onda V
  17. Alterações do Contorno - Descida Y

Sons cardíacos

Este capítulo pretende ilustrar os fenómenos acústicos detectados pela auscultação nomeadamente os sons e os sopros produzidos no interior do coração e dos vasos, e os atritos de origem pericárdica.

  1. Introdução aos extrassons
  2. Ruído de Ejeção
  3. Clique Mesossistolico
  4. Knock pericárdico e plop auricular

Grandes Síndromes Semiológicos Pulmonares

Os processos patológicos pulmonares podem ser agrupados, do ponto de vista semiológico em síndromes, com particular destaque para a síndrome de condensação pulmonar, a síndrome de rarefação pulmonar, síndrome de derrame pleural e pneumotórax.

  1. Síndrome de Condensação Pulmonar
  2. Síndrome de Rarefação Pulmonar
  3. Derrame pleural e Paquipleurite
  4. Pneumotórax
  5. Fibrose Pulmonar Bilateral